José Teixeira, Pela Europa de Chinelos

Portugal
Espanha
França
Inglaterra
Bélgica
Holanda
Alemanha
Dinamarca
Suécia
Finlândia
Estonia
Letónia
Lituânia
Polónia
Rep Checa
Eslováquia
Austria
Hungria
Servia
Roménia
Bulgária
Macedónia
Grécia
Albânia
Montenegro
Croácia
Bósnia – Herzegovina
Eslovénia
Itália
Mónaco (Há quem não considere país)

Para quem não está a contar… são 30! 30 Países percorridos num espaço de 18 meses! Quantos quilómetros? Aproximadamente 23.000!
Ainda pensei sinalizar no seguinte mapa os países pelos quais o José passou… mas achei uma perda de tempo pois basicamente iria rabiscar o mapa quase todo 🙂

Resultado de imagem para europe map

Que comece então… O Episódio 3 do “Inspired By” !!!

1- José, para quem não te conhece… José Teixeira “in a Nutshell”

Sou originário de Viseu mas mudei-me para Lisboa há 20 anos para estudar Geologia mas neste momento trabalho numa multinacional e faz quase 5 anos que comecei a maior aventura da minha vida até hoje, uma viagem de bicicleta pela Europa durante 18 meses passando por 30 países incluindo Portugal.
A viagem iniciou-se em Vila Nova de Cerveira para passar rápido uma fronteira indo em direcção à Finlândia passando depois pela Grécia e voltar a Portugal junto ao Mediterrâneo. Apesar de ter demorado 18 meses a faze-lo, quando voltei a Lisboa a vontade era continuar a pedalar.

Tirana

2- O que é que te levou a deixar o trabalho/família/amigos durante 1 ano e meio e partir por essa Europa fora?

Desde sempre que quis viajar mais mas sempre achei que tirar uns meses para o fazer seria impossível, não ganhei o EuroMilhões e nem uma herança de uma tia desconhecida.

Há uns anos ouvi a história de um casal de Aveiro que durante 9 meses fez uma viagem de bicicleta pela Europa e depois uma outra até Macau e pensei que seria algo que eu faria. Como era um “homem casado” na altura fui adiando.

Em Outubro de 2013 decidi avançar para esta epopeia e que a melhor altura para começar seria a 1 de Março de 2015. Dar-me-ia tempo para planear e ganhar alguns trocos.

Tallin

3- Qual o momento mais difícil da viagem?

Houve vários momentos difíceis, viajar sozinho não é fácil especialmente quando batem as saudades da família e dos amigos.

Uma as piores situações foi vivida na Roménia, perto de Craiova, em que estava a beber umas cervejas com o meu anfitrião para essa noite, e depois de algumas ele começa a reclamar com a mulher e bater-lhe. Obviamente chamei a polícia.

Obviamente fiquei sem sitio para dormir, tentei pedir à polícia para me deixarem dormir numa cela, o que não aconteceu mas arranjaram-me dormida numa escola.

UK

4- Quantos pares de sandálias utilizaste?

Apenas 3.
2 pares de ténis e 2 pares de chinelos de meter no dedo.

5- Qual a história mais engraçada que se passou durante a viagem?

Houve várias histórias que me marcaram, aqui vão 3:

– Na Suécia, Böste Lage, depois de pedalar quase 100km debaixo de temperaturas de 30º (sim na Suécia também é possível), vejo um café aberto e penso “Vou aqui beber uma cervejinha”.
Depois de ver que não tinha dinheiro comigo pergunto ao senhor que estava à janela se aceitam cartão e se vendem cerveja.
A resposta foi “Não temos pagamento por cartão e não vendemos cerveja. Isto é um café gerido pelos meus filhos nas férias de verão. Mas posso oferecer-te uma cerveja”
Assim foi, fui para casa dele, conheci os 4 filhos, jantei por lá.
Também me ofereceram dormida mas acabei por dormir na praia por recomendação do dono da casa já que era Julho e estava lua cheia. Algo muito raro por estas bandas.

Gamleby

O primeiro furo (assim como os 3 seguintes) tive na Albânia após 20.000km já pedalados. Como era dia de Páscoa não havia lojas de bicicleta para reparar portanto sentei-me numas escadas em frente a um prédio em Vlorë para reparar o estrago.
Quando estava a começar, um rapaz ao ver que eu não estava muito à vontade para a tarefa, pergunta-me se preciso de ajuda e eu digo que estou “OK” ele diz-me para esperar e tira-me a câmara de ar das mãos. Desaparece ao que eu já pensava que ele não voltaria, portanto estava a preparar-me para usar uma câmara de ar nova que tinha na bagagem.
Ao fim de 20/30 min ele volta com a câmara arranjada, dá-ma de volta e monto a bicicleta. Pergunto-lhe se lhe devo alguma coisa e a resposta foi: “toma uma cerveja”.
Isto foi tudo comigo a falar inglês e ele albanês.

Fyrom

No sul de Espanha, não me lembro bem onde, como era Verão e estava calor, decidi dormir num banco de jardim.
Como não estava “clandestino” decidi que acordar às 6:00 era uma boa hora portanto meti o despertador para essa hora. Seguindo o exemplo de um bom português meto o snooze no despertador. 3 minutos depois os aspersores da rega da relva começaram a funcionar portanto tive mesmo que acordar.

Gijon

6- Qual a melhor refeição?

Um jantar em Paris, pois foi o primeiro em família depois de começar a viagem.
Um almoço num restaurante giratório no topo de uma torre em Tampere, Finlândia

Belgrado

7- Melhor cerveja da viagem?
Sem duvida Gambrinus. Uma cerveja Checa.

Vordingborg

8- Para os curiosos que estão a pensar fazer algo semelhante… custo aproximado de todas as despesas?

Os custos vão depender muito da bicicleta que compram e do modo de vida que levam enquanto viajam.
Conheci quem pedalasse numa bicicleta de 250€ e quem viajasse numa de mais de 3000€.
No meu caso:

  • Bicicleta e alforges: 1500€
  • Roupa térmica para os dias frios: 100€
  • Saco cama inverno: 80€
  • Tenda: 500€ (arrependi-me já que fiquei muitas vezes em hostel)
  • Colchão insuflável térmico: 80€
  • Diariamente gastei em média 25 / 27 € em comida, bebida e alojamento.

    O valor depende muito daquilo que cada um quer fazer. O meu objectivo era viajar, comer bem, beber bem e não apenas pedalar portanto gastei bastante.
    Conheci em Skopje um Belga que estava a viajar desde a china até Bruxelas com um orçamento de 7€/dia.
Monaco – Nice

9- Qual o teu país favorito e porquê?

É difícil encontrar um favorito mas talvez a Sérvia seja o que mais me marcou, talvez porque fiquei lá 3 meses por ser Inverno e estar à espera de Neve e dos dias serem demasiado curtos. As pessoas são muito acolhedoras a comida é boa e o custo de vida baixo. Adicionalmente a cerveja é muito boa.

Estónia

10- Fizeste alguma preparação (física ou mental) para a viagem?

Antes da viagem pedalava regularmente e fiz algumas viagens de alguns dias.
Apesar disso ao fim de 30 km no primeiro dia estava já a pensar que não tinha estofo para viagem toda. Depois percebi o truque, um km de cada vez até chegar ao destino e ao fim de umas semanas já pedalava como se fosse a coisa mais natural do mundo.

Bath

11- Como é que se dá a volta ao guiador, para iniciar a viagem de regresso?

Não é fácil, nas primeiras semanas sentimos-nos fora do nosso ambiente e o voltar ao trabalho ainda custa mais.
Depois de 18 meses em que não havia rotinas passar a acordar sempre à mesma hora, ver as mesmas pessoas todos os dias e passar o dia todo atrás de um computador não é fácil.

Itália

12- Onde é que pensaste que ali eras capaz de viver feliz para sempre?

Depois de conhecer 30 países, 24 capitais e centenas de povoações continuo a dizer que Portugal é o melhor país para viver se tivermos uma boa ocupação.
O clima é o melhor da Europa, a comida é das mais variadas o custo de vida não é elevado e temos praias magnificas e montanha.

Roménia

13- Tinhas um plano para a viagem? Foi cumprido? Ou partiste sem plano e foste planeando?

Os planos iniciais eram apenas viajar 28 países indo às capitais todas excepto Madrid e Sarajevo, tudo o resto era decidido no próprio dia ou uns dias antes.
Como estava a viajar com um pequeno patrocínio da empresa onde trabalhava que incluía visitar os escritórios, por vezes tinha que programar estar numa cidade com uma / duas semanas de antecedência, mas por norma os planos eram feitos em cima do joelho.
O único país que não cheguei a visitar e que estava planeado foi a Turquia e também não cheguei a ir a Roma já que infelizmente o tempo para estar em Portugal estava próximo.

R. Checa

Tudo o que o José levou consigo:
Bicicleta Kona Sutra
Alforges Ortlieb (2 traseiros, 2 frontais e um de guiador)
Material reparação bike
Tenda Snugpak Scorpion 3 (2,5kg) Sim, tenda para 3 pessoas. Prefiro transportar um pouco mais peso e dormir com espaço.
Saco cama de Verão / Saco cama de Inverno
Painel solar para carregar telemóvel e tablet (Não recomendo tablet, é preferível levar PC)
3 camisolas térmicas
Casaco impermeável para pedalar fluorescente / Calças impermeáveis
Calções para pedalar
Calças quentes para pedalar (só usei como pijama)
2 tshirts para pedalar
Calças / calções para passeio
Casaco corta vento para passeio
4 tshirts de rua
1 sweat shirt
roupa interior para 3 dias
Máscara ski
Óculos de sol
Canivete multifunções
Fogão campismo (Arrependi-me. Quase nunca o usava, deixei-o a meio do caminho)

E terminou aqui a pequena entrevista ao grande José Teixeira!
José! Em nome de todos aqueles que que vais inspirar com a tua história.. Obrigado! (Excepto a minha mulher que não vai gostar de ler isto 🙂